sexta-feira, 21 de junho de 2013

Noite triunfal ontem no Campo Pequeno.

Marcelo Mendes
António Maria Brito Paes
Duarte Pinto
Reportagem: Bruno Paparrola (Quiebros e Chicuelinas).

A Monumental Praça de Toiros do Campo Pequeno em Lisboa, recebeu na noite de ontem uma grandiosa Corrida de Toiros à portuguesa de seis cavaleiros.

O cartel foi composto pelos Cavaleiros: Sónia Matias, António Maria Brito Paes, Duarte Pinto, Tiago Carreiras, Marcelo Mendes (que confirmou alternativa) e o cavaleiro praticante David Oliveira.

Pegaram os seis toiros da ganadaria portuguesa de António Silva, os grupos de Forcados Amadores de Santarém e Montemor.

Abriu praça o cavaleiro Marcelo Mendes, que teve um inicío de lide agradável começando logo por cravar três bons ferros compridos entrando bem pelos terrenos do toiro.
Nos curtos esteve em plano razoável, apesar de um primeiro curto ter ficado descaído devido a uma investida tardia do toiro, Marcelo Mendes (não vira a cara à luta) o seu segundo ferro curto foi de melhor nota e nem o percalço que teve (cavalo escorregou e provocou uma queda aparatosa) o desanimou, arrimou-se e deixou ainda um meritório ferro curto, perante um toiro que a partir do segundo ferro curto deixou praticamente de investir na hora reunião.
Marcelo Mendes já mostrou que tem valor para patamares mais altos, há corridas e corridas e toiros e toiros.
Da próxima vez será melhor concerteza.

A segunda lide da noite esteve a cargo de Sónia Matias, uma lide de excelente nível dando a primazia da investida do toiro aguentando-se bem para depois cravar bons ferros curtos montando o "Sultão", numa actuação ritmada e com bons momentos.
Lide muito boa de Sónia Matias.

O terceiro cavaleiro a actuar foi António Maria Brito Paes, que se exibiu em alto nível numa lide templada, lidadora, séria e de muita verdade, entendendo bem o toiro que teve por diante levando o toiro na garupa do seu cavalo pelo corredor das tábuas para depois colocar o toiro em sorte e de alto a baixo a cravar ferros que puseram em autêntico alvoroço o público presente na quarta corrida de toiros da temporada, rematando com brega templada.
Excelente triunfo alcançado no Campo Pequeno.

Abriu a segunda parte da corrida o cavaleiro Duarte Pinto, que teve uma lide de muita verdade, frontalidade e de emoção, esteve lidador e aproveitou ao máximo as características do toiro que teve pela frente.
E o que dizer dos ferros curtos... distâncias marcadas, viagens rectas para o toiro, ligeiro desvio na hora da reunião e o cravar de alto a baixo consentindo ao estribo, saindo limpo da sorte, ferros que honram o bom toureio a cavalo à portuguesa.
Mais uma boa actuação numa noite em que não esteve muito público na Monumental lisboeta.

 A quinta lide da noite esteve a cargo de Tiago Carreiras, que também esteve em muito bom plano toureando de frente apontando bons ferros curtos tendo tido como momento alto a cravagem do seu penúltimo ferro curto com batida ao pitón contrário (quiebro), que empolgou as bancadas.

O último toiro da noite esteve a cargo do cavaleiro praticante David Oliveira, que não teve uma lide fácil por vezes não atacando bem o toiro de frente, sentido por vezes algumas dificuldades em cravar ferros de frente, tendo emendado esse defeito deixando meritórios ferros curtos, perante um toiro que pedia um toureiro com mais experiência.
Tem potencial para fazer coisas muito boas no futuro.

A primeira pega da noite esteve a cargo do Grupo de Forcados Amadores de Santarém, com o forcado da cara João Torres a fechar-se á córnea e à primeira tentativa.

A segunda pega da noite esteve a cargo de Frederico Caldeira dos Amadores de Montemor, tendo-se fechado à córnea com as ajudas carregadas à 3ªtentativa.

A terceira pega da noite foi executada pelo forcado dos Amadores de Santarém, António Grave de Jesus, a a fechar-se á córnea à primeira tentativa.

A quarta pega da noite esteve a cargo do forcado dos Amadores de Montemor, João Maria Caldeira, a fechar-se à córnea à segunda tentativa.

A quinta pega da noite foi executada pelo forcado dos Amadores de Santarém, João Brito, que se fechou à primeira tentativa à córnea.

A última pega da noite esteve a cargo do forcado dos Amadores de Montemor, José Maria Cortes, que se fechou à córnea à primeira tentativa.

Os toiros da ganadaria de António Silva puseram seriedade e valorizaram os triunfos dos cavaleiros, servindo para uma boa corrida de toiros.

Fotos: João Silva.

Sem comentários:

Enviar um comentário