sexta-feira, 22 de abril de 2011

Nos bastidores da festa brava na praça do Sitio da Nazaré


Entrevista: O Quiebros e Chicuelinas quis saber como é feito o trabalho de uma equipa nos Curros, já que por vezes estes elementos não são reconhecidos pelo trabalho que fazem em prol da Tauromaquia.


Falámos com Fernando Mafra que é o chefe de equipa deste grupo desde há muitos anos na Praça de Toiros Nazarena, que deixou apontamentos de elevado interesse para quem gosta da tauromaquia em geral, pela nossa parte, Quiebros e Chicuelinas agradecemos com um “Olé” toda a informação disponibilizada.

Uma entrevista conduzida por Joaquim José Paparrola e Bruno Paparrola.

FOTO: Joaquim José Paparrola.


Quiebros e Chicuelinas - Desde quando é que o seu staff está a fazer serviço na praça de toiros da Nazaré, e para vós equipa, o que representa fazer este tipo de trabalho?

Fernando Mafra – Embora já tivesse trabalhado nos curros durante alguns anos, entre 1980 a 1987 e se a memória não me falha, a equipa que lidero, labora nos curros da Praça de Toiros da Nazaré desde 1993, portanto já levamos 17 temporadas. Para nós este trabalho, embora há cerca de 10 anos a esta parte, seja pago, uma quantia que faz face às despesas de alimentação durante o dia da corrida, tem tudo em prol da aficcion. Somos cerca de 10 pessoas, embora durante a época nem sempre todos estão presentes, já que alguns têm o seu emprego no estrangeiro em barcos de passageiros e nem sempre coincide estarem de férias aquando da época taurina, mas estão presentes sempre 8 elementos, o numero suficiente para fazer funcionar todo o trabalho de curros nos dias que antecedem as corridas e no próprio das mesmas.
Q e C - O que é necessário para que uma corrida de toiros esteja preparada para começar, certamente que vocês fazem o trabalho mais delicado, presumo, com que antecedência se prepara tudo, e quais as funções de cada um?

F.M- A maior parte de todos aqueles que vêm Corridas de Toiros, não têm a mínima noção de que a parte mais importante do espectáculo são os Toiros, sem eles não há espectáculo. Se faltar um Cavaleiro, os outros Cavaleiros podem tourear os toiros que lhe pertenciam, se falta um Bandarilheiro a mesma coisa, ou até mesmo na falta do director de Corrida, esta pode ser dirigida por uma pessoa idónea. Se o Curro de Toiros não estiver em condições não há espectáculo. Para que o mesmo se apresente em excelentes condições, alguém tem de cuidar deles, ou seja, alguém é responsável por os Toiros se apresentarem em condições.
Em primeiro lugar, o Ganadero, é quem os cria, é dele a responsabilidade dos Toiros terem boa apresentação e estarem bem fisicamente.
Em segundo lugar, o Transportador, quem tem de ter no seu camião as melhores condições para o transporte destes animais. Em terceiro lugar, os Curros da Praça, onde os Toiros, vão ser lidados. Vou falar da terceira, pois é daquela que tenho conhecimento, passando a explicar o que compete ao pessoal dos curros fazer para que tudo esteja em condições para receber em cada corrida o respectivo Curro de Toiros:

- Três dias antes de cada Corrida, o grupo do Pessoal de Curros da Praça de Toiros da Nazaré, que lidero, desloca-se aos curros para proceder à limpeza das pias onde é colocada a água, sendo esta usada e retirada, e colocada nova água limpa;

- Do chão que é de cimento, mas que no início de cada temporada leva uma camada de serradura de pinho, para ficar menos agressivo para o casco dos animais, são retirados os detritos maiores que são deixados pelos animais, e colocada mais serradura onde for necessário;

- É verificado o funcionamento de todas as portas, pois se não estiverem todas OK, procedemos à sua reparação de imediato, se for uma avaria muito complicada comunica-se superiormente para que seja reparada, nos três dias que faltam para a corrida.

- No dia da corrida, por volta das 11 horas, todo o pessoal se junta nos curros à espera da chegada dos Toiros, que começam a ser descarregados por volta do meio-dia.
Na presença do Director da Corrida, do Doutor Veterinário, do Empresário, e do Representante do Ganadero, normalmente o homem que vem a acompanhar os Toiros desde o campo, procede-se à descarga, pesagem e arrumação dos Toiros, separadamente e um em cada curro, depois de aprovados pelo Dr. Veterinário e pelo Director de Corrida.
Em cada curro fica inscrito numa placa identificativa, o numero, o peso e o ano do Toiro.
De frisar que nesta fase, os Toiros, sempre que possível, são arrumados nos curros, à voz ou à mão, passo a explicar, sempre que o Toiro colabora seguindo a voz ou a mão de quem o chama, não lhe é mostrado qualquer pano que o faça investir, como também não lhe é dado qualquer toque de vara.
De frisar que as varas usadas nos curros da Praça de Toiros da Nazaré, não têm bico que possa ferir os Toiros, quer antes, quer depois de corridos.
Depois de terminado este serviço, os curros são fechados, sem acesso a ninguém, para que os Toiros possam descansar e acalmar o stress, quer da viagem desde o campo até à praça, quer da descarga e pesagem.

- Por volta das 5 horas da tarde, isto porque as corridas são à noite, procede-se ao sorteio dos Toiros, nesta fase comparecem nos curros o Director de Corrida, o Dr. Veterinário, o Representante do Ganadero e os Representantes dos Artistas intervenientes na corrida, incluindo dos Grupos de Forcados.

- Efectuado o sorteio e numerados os Toiros, na placa identificativa, da sua ordem de saída na corrida, e depois e toda a gente ter abandonado os curros, ficam apenas presentes o Pessoal dos Curros, o Director de Corrida e o Dr. Veterinário, para procedermos à próxima fase que é a Embolação.

- A Embolação é efectuada por profissionais encartados para o efeito.
O Pessoal dos curros movimenta os Toiros de modo a que seja feita a mesma sem que nenhum toiro fique inapto para a corrida, esta fase demora cerca de 2 horas, depois de finalizada e todos os Toiros estarem alinhados por ordem para a saída na corrida, os curros ficam novamente inacessíveis a qualquer pessoa, de modo a que os Toiros possam descansar e aliviar o stress da Embolação e possam sair em pleno para a Praça.

- O Pessoal dos Curros volta meia hora antes da Corrida, para preparar tudo para o início da Corrida e verificar se está tudo bem com os Toiros.

- Durante a Corrida, o mais importante que posso aqui destacar são a ordem de saída dos Toiros, ou seja, não pode haver engano na ordem dos mesmos e o anúncio em placa própria para o efeito, do nome da Ganadaria, do número, peso e ano de cada Toiro, onde também não pode existir engano, tudo o resto é trabalho de braços e algumas cabeças mais atentas e vigilantes, para que tudo corra bem, ou para tomar alguma decisão sobre algo inesperado que possa acontecer. De frisar que durante a corrida, vão sendo também desembolados os Toiros e retirados todos os ferros colocados pelos Artistas, em simultâneo com o decorrer da corrida, para que no final, estejam quase todos os Toiros prontos para o embarque.

- Finalizamos o trabalho de Curros com o embarque dos Toiros no camião que os leva ou para o Matadouro, ou para o campo novamente, no caso dos Toiros que são aproveitados quer para reprodução, ou para as largadas de Toiros que vemos por várias localidades do nosso país, terminando o serviço por volta de 2 horas depois de terminar a corrida, isto, a correr tudo bem.


- Não existem funções distribuídas, todos sabem o que fazer antes, durante e após a corrida, os mais experientes estão sempre mais atentos para que tudo corra bem.

Q e C- Já aconteceu alguma situação caricata nos curros que possa ser revelada?
F.M - Há uns anos atrás, ainda nós procedíamos à limpeza dos Curros logo de seguida ao carregamento dos Toiros, estes foram muito difíceis de carregar no camião, por isso demorou muito tempo, tanto que o ultimo a ser desembolado ficou na manga a aguardar a sua vez, tanto tempo, que nos esquecemos dele.
Perguntamos ao motorista, como é hábito, se estavam todos carregados, ele respondeu que sim, e então o pessoal desceu todo para os curros com as ferramentas para fazer a limpeza, e abrindo todas as portas dos curros e mangas para que se possa circular e fazer a limpeza, já estávamos quase todos lá em baixo e as portas todas abertas incluindo a da manga onde o ultimo Toiro a ser desembolado estava, quando o motorista grita " falta um toiro ", bem, quem estava lá em baixo ganhou asas (risos), o que nos valeu é que o animal estava muito cansado tendo permanecido na manga, portanto só podia andar para trás e mesmo com a porta aberta ele não se mexeu de onde estava, tendo nós tempo de tudo sem que existisse qualquer azar. Para além destes existem muitas outras, como devem calcular, ao longo de 17 épocas, temos muitas histórias para contar.

Q e C - Acha que dão o valor que vos é reconhecido, pela causa que defendem?
F.M - Não sei se nos dão valor ou não, a nós isso pouco importa, nós sabemos o que valemos, mas o que nos importa realmente é fazer o nosso trabalho com toda a dedicação, cuidar bem de todos os Curros de Toiros que passam pela Praça da Nazaré, para que cada animal bravo que sai à Praça, o faça sem qualquer problema.