segunda-feira, 18 de julho de 2011

Tauromaquia: Na inauguração da temporada taurina no Sitio da Nazaré


António, Manuel e João deram brilho á dinastia Telles


Nem a chuva miudinha esfriou o excelente ambiente que se viveu no tauródromo mais castiço de Portugal.


Reportagem de Bruno Paparrola e Joaquim José Paparrola


A Praça de Toiros do Sítio da Nazaré recebeu no passado dia 16 de Julho, a primeira corrida de toiros da temporada 2011 na Nazaré. De destacar antes demais a excelente organização da Empresa da Sociedade do Campo Pequeno na sua estreia em terras nazarenas. O cartel foi composto pelos cavaleiros António Ribeiro Telles, Manuel Telles Bastos e João Telles Jr. As pegas estiveram a cargo dos Forcados amadores de Santarém e Coruche, capitaneados respectivamente pelos cabos Diogo Sepúlveda e Amorim Ribeiro Lopes. Toiros da ganadaria Santa Maria, bem apresentados que deram boas lides à terna de cavaleiros, excepção feita ao primeiro da noite que nos pareceu debilitado dos membros posteriores.

Abriu praça o cavaleiro António Telles, que teve uma lide positiva apesar da debilidade física do toiro. Começou bem a sua actuação com uma excelente porta gaiola, cravando ainda um segundo comprido de boa nota. Nos curtos deu tudo para ultrapassar as adversidades de um toiro que investia tardiamente talvez por força da lesão que o apoquentava, não facilitando o labor ao cavaleiro da Torrinha. António ainda assim conseguiu uma lide positiva cravando alguns ferros de valor que com a sua entrega empolgaram os muitos aficionados presentes na castiça praça nazarena. O que não pôs o toiro, pôs o cavaleiro. Na sua segunda lide esteve a gosto, cravando um grande segundo ferro comprido em sorte frontal entrando pelos terrenos do toiro. Nos curtos montando o cavalo “Rondeño” , António explanou o seu melhor toureio indo de frente, cravando de alto a baixo a ferragem da ordem com remates muito vistosos, perante um toiro colaborador com codicía e que deu boa lide ao ginete da Torrinha.

A segunda lide da noite esteve a cargo do cavaleiro Manuel Telles Bastos, que tem um estilo bastante semelhante a seu tio António, teve uma lide bastante conseguida fruto das boas condições de lide que o toiro apresentava. Cumpriu na ferragem comprida, tendo nos ferros curtos os seus melhores momentos. Ligou-se bem a um toiro que transmitia bastante bravura, tendo Manuel Telles Bastos tirado todo o proveito das condições de lide que este toiro detinha. Entrou bem pelos terrenos do toiro, consentindo ao estribo para deixar os ferros curtos, tendo quase no final da sua lide que tirar o toiro de tábuas quando este já refugiava para deixar mais um ferro curto. No seu segundo da noite manteve a toada da primeira, tendo cravado a ferragem comprida com acerto. Nos curtos sacou a sua melhor montada a égua de nome “Rosa”, onde apontou bons ferros curtos, perante um toiro que tinha uma investida franca na hora da reunião e que proporcionou mais uma boa lide a Manuel Telles Bastos, que com duas boas actuações mostrou que merece mais oportunidades nas arenas portuguesas, tem valor, boa monta e emprega-se nas suas lides.

O terceiro cavaleiro a actuar foi o cavaleiro João Telles Jr., que começou por ir buscar o toiro há porta dos curros, dando mostras de querer vir triunfar na Nazaré. Cumpriu na ferragem comprida. Nos ferros curtos esteve irrepreensível, bem na brega e a cravar, entrando bem em sorte frontal para deixar com muito boa nota a ferragem curta, aproveitando a bravura toiro que tinha por diante, Telles Jr. tem um estilo bastante distinto do toureio de seu tio e seu primo. Lide de muita entrega e ligação às bancadas que culminou com um ferro de palmo à meia volta e um estrondoso par de bandarilhas.
Na sua segunda lide apontou um bom ferro comprido (o seu segundo) à tira, nos curtos teve bastante bem na brega, levando o toiro na garupa do cavalo (de costado), para dar alguma espectacularidade ao seu toureio. Elegeu com critério os terrenos para cravar os ferros curtos, tendo tendência para carregar a sorte ao pitón contrário, animando o tauródromo nazareno praticamente lotado.

No que diz respeito às pegas, foi uma boa noite para a forcadagem, onde se viram boas pegas: João Góis (GFSantarém) – boa pega à córnea consumada à 1ªtentativa; Pedro Galamba (GFCoruche ) – excelente pega executada à primeira tentativa à córnea; António Imaginário (GFSantarém) – fechou-se à córnea à terceira tentativa; Alberto Simões – (GFCoruche) – boa pega consumada à segunda tentativa e à córnea; João Vaz Freire – (GFSantarém) - pega segura à córnea e à primeira tentativa; Luís Gonçalves – (GFCoruche) – pega à córnea e à primeira tentativa.

No intervalo da corrida homenageou-se uma grande lenda da tauromaquia nacional e internacional, refiro-me a Mestre David Ribeiro Telles. Foi descerrada uma placa de homenagem ao Mestre nos corredores da Praça de Toiros da Nazaré. Em declarações ao Blog "Quiebros e Chicuelinas" e Jornal Região da Nazaré o cavaleiro António Ribeiro Telles disse “penso que a corrida foi boa, os toiros proporcionaram excelentes condições de lide e nós quisemos estar bem. Independentemente de uma má noite (chuva miudinha), nós os três quisemos divertir as pessoas e quando isso acontece fico bastante contente”. Falámos ainda com o cavaleiro João Telles Jr, que ao nosso jornal confidenciou “foi uma corrida bastante boa, os cavalos estão afinados, vêm aí corridas importantes como aquela da próxima quinta-feira no Campo Pequeno, que acho que é muito importantíssima. Acho que estou num bom momento, lidámos um bom curro de toiros de Santa Maria e penso que teve um grande ambiente a corrida”.

Morreu o cavalo "estrela" de Diego Ventura de nome "Distinto".

O cavalo "estrela" da quadra de Diego Ventura de nome "Distinto", faleceu ontem na Clinica Universitária de Barcelona, depois de complicações de saúde, que foram detectadas horas antes da corrida de rejoneio que se realizou no passado sábado em Méjanes (França).
Único cavalo no mundo que faz a sorte em quiebro andando para trás, tinha ferro Francisco Pereia e tinha nove anos de idade.

Esta é a homenagem do blog Quiebros e Chicuelinas, a um grande cavalo de toureio.