quarta-feira, 4 de maio de 2011

Sempre a subir, a caminho das 10 000 visitas


Artigo de Opinião: Joaquim José Paparrola


Quando em Julho de 2010 se estreou o Blogue de Tauromaquia: Quiebros e Chicuelinas, muitas foram as nossas certezas que este nosso/vosso espaço iria triunfar e sair em “ombros pela porta grande de todas as praças taurinas mundiais”. Sabendo nós, administradores deste Blogue, (o grande mérito vai inteirinho para o Bruno Alexandre, um aficionado dos sete costados), que não seria fácil agradar a toda a gente neste mundo dos “Toiros” que por vezes perde a sua identidade. Desde á muito tempo que deu para ver que como em tudo na vida existem os bons, os menos bons e aqueles que estão constantemente a mandar abaixo a aficion, para esses existe apenas um caminho ou juntam-se aos bons e “remam para o mesmo lado”, ou então escondam-se num daqueles sítios onde reina a hipocrisia. Quero com estas palavras afirmar que cada vez mais é importante existir união em torno da “Festa Brava”, e deixarem-se de quezílias sobre questões que ultrapassam os limites do ridículo. Ou porque um toureia mais corridas que os outros, ou porque A, B ou C, tem cavalos melhores, ou porque A, B ou C, tem mais cunhas para colocar os seus apoderados, ou ainda porque este e aquele tudo fazem para retirar de alguns cartéis artistas que não se dão cordialmente, ou porque têm receio de não ter categoria para com eles ombrear. Toda a gente sabe que tudo aquilo que gera dinheiro está envolto em muitos interesses obscuros, existem pessoas sérias e outras menos sérias, porém não se deve perder a identidade daquilo que nos prende a todos, neste caso “A Tauromaquia”. Quando era menino, ansiava pelo início dos Verões, pois sabia que com eles viriam as tardes de grandes espectáculos taurinos, certamente que nesse tempo já existia polémica em torno desta forma de estar e gostar desta actividade que tem tudo de nobre. Alguns amigos questionam o facto de a “Festa de Toiros” ser uma crueldade para com o animal “Toiro”, tenho de respeitar esta maneira de pensar, o meu lado humano assim o exige, assim como têm de respeitar os gostos dos outros, porem, senão o fizerem também não me incomoda nada, eu não sou daqueles que detesta ver um toiro ser picado, mas logo a seguir “torço o pescoço a uma galinha para a comer, ou mato um coelho a murro, para fazermos todos uma grande “petiscada” ou vamos para os campos para caçar javalis, perdizes, raposas, enfim um rol de barbaridades” , enquanto dizemos mal das “touradas” isto não deve ser violência isto! deve ser AMOR ao próximo (tanta ignorância). Certamente que a maioria dos nossos visitantes no Quiebros e Chicuelinas, são aficionados, mas também devem existir aqueles curiosos “Anti-Taurinos” que com um comichão levado da breca e movidos por alguma curiosidade nos visitam, para eles o nosso obrigado e as nossas boas vindas, prezamos por ser diferentes nesta nossa sociedade, nunca coloquem em dúvida o respeito por quem (nós) vive estas actividades, do campo onde os animais são criados, das famílias que dependem dos mesmos para sobreviverem, e porque não dizê-lo das despesas que os mesmo acarretam para que se possam criar e reproduzir para termos uns suculentos bifes á nossa mesa “ou querem ver que somos todos vegetarianos!” Por hoje fico-me por aqui, tenho uma caracolada á espera e uma cervejola, espero que não sejamos bárbaros por comer estes bichinhos. Um “Olé” para todos vós.


Nota de Reportagem: Quero em nome do blogue: Quiebros e Chicuelinas agradecer todas as mensagens de apoio (Portugal, Colômbia, EUA, França, Rússia, Chile, Espanha, Bélgica e Suiça, peço desculpa se me esqueço de outros países) para continuarmos a levar até vós, tudo o que se passa no mundo Taurino.