segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Tauromaquia: Na corrida do Sporting Clube de Portugal no passado dia 26

Rui Fernandes e António Ferrera triunfaram no Campo Pequeno


Reportagem de Bruno Paparrola e Joaquim José Paparrola


A Monumental Praça de Toiros do Campo Pequeno recebeu no passado dia 26 de Agosto, a grandiosa corrida de toiros mista comemorativa dos 105 anos do Sporting Clube de Portugal. O cartel foi composto pelos cavaleiros Rui Fernandes e Marcos Bastinhas, os matadores de toiros Victor Mendes e António Ferrera.
Pegaram três toiros os forcados amadores do Aposento da Moita, capitaneado pelo cabo Tiago Ribeiro.
Os toiros lidados nesta noite foram das ganadarias Passanha e Falé Filipe.
A primeira lide da noite esteve a cargo dos cavaleiros Rui Fernandes e Marcos Bastinhas, naquela que foi uma lide a duo onde demonstraram bom entendimento, tendo os dois cravado a preceito a ferragem da ordem.



Na lide a solo o cavaleiro Rui Fernandes esteve fenomenal, tendo executado uma lide de risco e de muita ligação com as bancadas, e que contou com um toiro muito colaborador que se dava bem ao engano.
Os seus maiores destaques vão para os três ferros curtos que cravou montando o seu cavalo craque da quadra de nome "Vivaldi", indo de frente e com uma batida ao piton com muita expressão abrindo de seguida o quarteio cravou de alto a baixo ferros que levantaram os aficionados dos seus assentos.
Para culminar a sua brilhante actuação cravou um muito bom ferro curto, depois de se ter adornado na preparação da sorte com o cavalo a fazer o balanceo.



Marcos Bastinhas teve uma actuação discreta, apesar da muita vontade que trazia para triunfar não teve toiro para essa situação acontecesse.
O cavaleiro de Elvas bem se esforçou para dar a volta a um toiro quase manso, que não invistia na hora da reunião, tendo Marcos Bastinhas se limitado a pôr o toiro em sorte para deixar a ferragem da ordem. Bem tentou animar as bancadas com um ferro "violino" e um par de bandarilhas, com este ultimo a ser cravado com o toiro completamente parado. Da próxima será melhor.



A segunda lide da noite pertenceu ao matador de toiros Victor Mendes, que começou bem a sua actuação no tércio de capote executando uma bonita série de "chicuelinas".
Na muleta bem tentou mas não conseguiu explanar o seu melhor toureio, devido a um toiro que tinha investidas algo bruscas e que dessa maneira não permitiu uma lide de triunfo ao matador de toiros que foi homenageado muito merecidamente antes do início da corrida, devido ao cumprimento dos seus trinta anos de alternativa.
Na sua segunda lide esteve uns furos acima, bem no capote desferindo lances de capote de valor.



Na muleta fez valer a sua longa experiência nas arenas, estando por cima do seu oponente tendo executado tandas de muito temple e profundidade.
Boa actuação a segunda do Maestro de Salvaterra de Magos, que foi acarinhado pelo público presente na Monumental lisboeta.



O quarto toureiro a actuar na arena do Campo Pequeno, foi o matador de toiros António Ferrera. Uma primeira lide bastante emotiva e de ligação ao público, perante um toiro bom de Falé Filipe que mostrou investir bem tanto no capote como na muleta, com os dois pitons. Nas bandarilhas esteve ao seu melhor nível, adornando-se, a partir para o toiro e a cravar com espectacularidades os pares de bandarilhas. Na muleta
esteve soberbo, diversificando os passes, chegando com muita força ao público.
No seu segundo manteve a toada, sempre ao seu melhor estilo conseguindo um triunfo popular, tendo saído em ombros pela Porta Grande, depois de ter dado quatro voltas à arena (duas na sua primeira lide e duas na sua segunda).
As pegas estiveram a cargo do grupo do Aposento da Moita, a primeira pega foi executada à segunda tentativa, com o forcado da cara a fechar-se bem à barbela. A segunda pega da noite foi consumada à primeira tentativa, tendo o forcado da cara se fechado à córnea.
A terceira e última pega da noite foi consumada à primeira tentativa, tendo o forcado executado boa pega à barbela

Salvador, Rouxinol e Telles Jr., em grande na Nazaré.

Reportagem de Bruno Paparrola e Joaquim José Paparrola

A Praça de Toiros do Sitio da Nazaré recebeu no passado sábado dia 20 de Agosto, mais uma grandiosa corrida de toiros onde houve concurso de ganadarias e pegas Com a melhor assistência da temporada até a este momento, assistiu-se a bons momentos de toureio. Abriu praça o cavaleiro de Tomar, Rui Salvador que protagonizou uma lide muito positiva. Salvador teve pela frente um toiro que arrancava bem no momento da reunião, tendo o primeiro aproveitado este factor para ir de frente carregando a sorte para depois cravar ferros curtos de grande mérito, numa lide de bastante raça e entrega.

O segundo cavaleiro a actuar foi Luís Rouxinol, que demonstrou mais uma vez o porquê de ocupar os lugares cimeiros do panorama taurino nacional.
Lidou um toiro colaborador, com muita bravura e que encaixou perfeitamente no seu estilo de lide, numa actuação sempre ritmada e com ligação ao publico,
Rouxinol desenhou bem os quarteios, para depois de alto a baixo cravar excelentes ferros curtos montando o cavalo craque da sua quadra "Ulisses". Culminou a sua boa lide com um espectacular par de bandarilhas, com que fechou a sua actuação.



A terceira lide da noite esteve a cargo do cavaleiro escalabitano José Manuel Duarte, que esteve bastante bem na sua actuação, tendo alguma trabalho para que o toiro se conseguisse fixar na montada.
Logo nos compridos, esteve bem, cravando dois excelentes ferros à tira, nos curtos andou a gosto cravando bons ferros, depois de abrir bem os "quarteios.".



O quarto cavaleiro a actuar na arena da Nazaré, foi João Pedro Cerejo que não teve nenhuma situação de destaque na lide, limitando-se a fazer corridas entre o seu cavalo e o toiro tendo sido colhido numa dessas ocasiões.
A quinta lide da noite este por conta da cavaleira Sónia Matias, que teve uma actuação algo inglória devido ao toiro que lhe calhou sorte ter um defeito de visão, dificultando o labor à cavaleiro lisboeta.
Sónia bem tentou dar a volta a essa situação mas o esforço foi inglório, tendo esta se limitado a deixar os ferros da ordem no toiro.
A última lide da noite esteve a cargo do cavaleiro da Torrinha, João Telles Jr. Que novamente à Nazaré alcançar um bom triunfo.
Entendeu bem o toiro do seu lote, elegendo bem os terrenos colocando o toiro em sorte, para depois com ligeiras batidas ao piton contrário cravar ferros que empolgaram os aficionados presentes que encheram novamente o tauródromo nazareno.
Terminou a sua boa actuação com bom ferro "violino".



No que às pegas diz respeito, a primeira da noite esteve a cargo do forcado do Aposento do Barrete Verde de Alcochete, que executou excelente pega à córnea, consumada à segunda tentativa.
A segunda pega da noite pertenceu aos Amadores da Chamusca, tendo o forcado da cara executado grandiosa pega à córnea, consumada à primeira tentativa.
O terceiro grupo de forcados a pegar foi o do Aposento da Chamusca, com o forcado Francisco Montoya a consumar à primeira tentativa uma excelente pega à barbela.
A quarta pega da noite foi executada pelo cabo do Aposento do Barrete Verde de Alcochete, João Salvação fez uma grande pega à córnea, consumada à primeira tentativa.
O cabo do grupo dos Amadores da Chamusca, Nuno Marques executou uma pega segura, consumada à primeira tentativa.
A última pega da noite foi executada pelo cabo do Aposento da Chamusca, Pedro Coelho dos Reis, que fez uma grande pega também, fechando-se à córnea, consumando À primeira tentativa.
Em relação aos prémios em disputa, o troféu para o melhor toiro foi entregue à ganadaria Prudêncio, que calhou em sorte ao cavaleiro de Pegões, Luís Rouxinol.
Nas pegas o prémio não foi atribuído devido a um empate, ficando para o dia 8 de Setembro a disputa deste mesmo troféu entre os grupos de forcados presentes nesta corrida, numa agradável e justa decisão de Rui Bento Vasques.

Rui Fernandes, Diego Ventura e Leonardo Hernández, no próximo sábado na Real Maestranza de Ronda (Espanha), numa corrida de rejoneio Goyesca.




A Real Maestranza Caballería de Ronda (Espanha), irá acolher no próximo sábado uma grandiosa corrida de rejoneio Goyesca.


Em Praça os cavaleiros:

Rui Fernandes
Diego Ventura
Leonardo Hernández.



Toiros da ganadaria Carmen Lorenzo, San Pelayo e San Mateo.



Fotos:D.R.



Sebastián Castella triunfou ontem em San Sebastián de los Reyes (Espanha), depois de ter cortado duas orelhas.


O matador de toiros francês Sebastián Castella foi o grande triunfador da corrida apeada realizada, ontem em San Sebastián de Los Reyes (Espanha), tendo cortado duas orelhas (orelha na sua primeira lide e orelha com aviso no seu segundo toiro) e respectivamente a sair em ombros pela Porta Grande.


Actuaram ainda os matadores de toiros Finito de Córdoba (silêncio na sua primeira actuação e silêncio com aviso na sua segunda lide) e El Juli (silêncio na sua primeira actuação e ovação no seu segundo toiro).



Lidaram-se toiros da ganadaria Victoriano del Rio.






Foto:D.R.