segunda-feira, 1 de agosto de 2011

“Vive o toureio a 100 por cento”




Tauromaquia: Rui Bento Vasques, director das actividades tauromáquicas do Campo Pequeno e apoderado de António Ferrera falou ao jornal Região da Nazaré e ao “Blog Quiebros e Chicuelinas”.

O próximo dia 6 de Agosto será uma ocasião excelente para quem gosta de toureio tanto a cavalo como a pé se deslocar á praça do Sitio da Nazaré e assistir á corrida das Bandarilhas. Joaquim Bastinhas, Marcos Bastinhas, Luís Vital Procuna e António Ferrera competem numa noite de grandes emoções.

Entrevista de Joaquim José Paparrola

Região da Nazaré - Quiebros e Chicuelinas - Ser apoderado de uma figura do toureio como é o caso do António Ferrera, e o facto de o trazer á Nazaré é sinónimo que o toureio a pé é uma aposta forte para esta praça?
Rui Bento Vasques - O toureiro a pé é uma aposta da empresa do Campo Pequeno em qualquer que seja a praça que administre. É assim em Lisboa, como na Nazaré, na Figueira da Foz ou na arruda dos Vinhos, ou como foi na temporada passada, em Coruche.

R.N- Q.C - Como está a correr a temporada do seu toureiro, quantas corridas pretende o mesmo fazer?

R.B.V -A temporada começou muito bem com as presenças em Cali (Colômbia), a 2 de Janeiro na Feira de Mérida, na Venezuela, em Fevereiro e, mal chegados a Espanha, logo com o indulto de dois toiros. Antonio Ferrera está contratado para as principais feiras de Espanha. Para falar nas presenças mais recentes feiras de primeiro plano, direi que após Madrid, Placência e Pamplona, se seguem, Gijón, Santander, Baeza e Vitória, por exemplo. É o périplo das exigentes feiras do Norte de Espanha, misturado com actuações por todo o país, sendo praticamente certo que se situará entre as 30 e as 40 corridas, na temporada de 2011.

R.N-Q.C - Como define o António Ferrera, visto que o Rui Bento foi um baluarte do toureio apeado em Portugal?

R.B.V -Defino o António Ferrera, desde logo, como um excelente profissional. É um toureiro que reúne as características que lhe permitem satisfazer as expectativas das várias sensibilidades de aficionados. É um profissional a 100 por cento. A sua grande autodisciplina é sinónima do grande respeito que tem pelo público. Vive o toureio 24 horas por dia. É um toureiro de entrega total. Para ele não há toiros lidáveis. A todos tenta descobrir a faena possível e muitas vezes consegue até tirar deles a faena impossível. Toureiro completo de apurada técnica com o capote e com a muleta é, na actualidade, o melhor Matador-Bandarilheiro a nível mundial, pela espectacularidade, risco e verdade dos seus pares de bandarilhas. E um toureiro que tem um, carinho enorme pelos aficionados portugueses e que jamais esquece o quanto deve a Portugal, pois tem actuado entre nós desde os seus tempos de bezerrista com apenas 10 anos de idade.

Sem comentários:

Enviar um comentário