sexta-feira, 17 de maio de 2013

Noite de bom toureio na alternativa de João Maria Branco, ontem no Campo Pequeno.


Momento em que João Maria recebeu a alternativa de cavaleiro profissional do seu padrinho Joaquim Bastinhas, com Pablo Hermoso de Mendoza como testemunha.

João Maria Branco no momento da cravagem de um ferro comprido.

João Maria Branco cravando um bom ferro curto no toiro da sua alternativa.

No ano em que cumpre 30 anos desde a alternativa, Joaquim Bastinhas esteve em bom nivel na segunda corrida da temporada 2013 no Campo Pequeno.

Joaquim Bastinhas demonstrou que a duas mãos continua a mostrar atributos.

Pablo Hermoso de Mendoza cravando um bom ferro comprido de frente, montando cavalo de nome "Dante".
Pablo Hermoso de Mendoza com o toiro bem debaixo do braço para cravar um ferro curto, montando o cavalo "Van Gogh".
GFA Évora.
GFA Alcochete.

Noite de bom toureio na alternativa de João Maria Branco

Reportagem de Bruno Paparrola.

Reportagem Fotográfica de Joaquim José Paparrola.

A Monumental Praça de Toiros do Campo Pequeno em Lisboa, esteve muito bem composta de publico (três quartos de casa fortes ) que  recebeu na noite de ontem (5ª feira), 16 de Maio, a sua segunda corrida de toiros da temporada de 2013. Este festejo taurino teve como grande atractivo a alternativa do cavaleiro praticante João Maria Branco, e a comemoração dos 30 anos de alternativa de Joaquim Bastinhas e o regresso do rejoneador espanhol Pablo Hermoso de Mendoza ao tauródromo lisboeta. Abriu praça o cavaleiro João Maria Branco que foi esperar pelo toiro à porta dos curros, tendo executado uma boa lide perante um toiro que se deixou lidar, não "carregando" muito na altura das reuniões, tendo o cavaleiro de Estremoz aproveitado mesmo assim para deixar alguns ferros meritórios entrando de frente nos terrenos do toiro naquela que foi a sua primeira lide como cavaleiro de alternativa.
Na sua segunda lide teve pela frente um toiro manso que só procurou refugiar-se em tábuas, dificultando o labor a João Maria Branco que não se atemorizou, cravando bons ferros em sorte sesgadas perante um exemplar que não se deu à luta com o cavalo e cavaleiro.

Joaquim Bastinhas lidou o segundo toiro da noite, numa lide agradável com ritmo e com bons ferros à tira perante um oponente colaborador e que permitiu o melhor toureio ao cavaleiro de Elvas, tendo culminado a sua actuação com um sempre vibrante par de banderilhas a duas mãos.
No seu segundo esteve uns furos abaixo da sua primeira actuação tendo alguma dificuldade em deixar a ferragem curta com o cavalo que montava nesse tércio a não querer ir à cara do toiro dificultando o momento da ao cavaleiro, ainda assim Joaquim Bastinhas, de seguida sacou o "Cartier" que agora sim deixou dois ferros de bom plano com o cavalo a ir mais à cara do toiro com os quarteios bem medidos.

Pablo Hermoso de Mendoza lidou o terceiro toiro da noite onde rubricou uma actuação de enorme categoria, entendeu logo de saída o seu exemplar alcançando momentos de grande emoção na ferragem curta.
Montando o cavalo "Disparate" cravou ferros em sortes frontais entrando bem pelos terrenos do toiro, um oponente a que se tinha de pisar bem os terrenos, apesar disso, Pablo Hermoso de Mendoza não se fez rogado e deixou banderilhas de grande categoria.
Teve tempo ainda para momentos de brega cingidos montando o cavalo baio de nome "Ícaro", pondo o público em autêntico alvoroço.
No seu segundo começou bem com dois ferros compridos muito bons entrando de frente, tendo nos curtos executado um toureio cambiado montando o "Van Gogh" com o qual apontaria três bons ferros curtos com o toiro a não se dar completamente ao engano.
Destaque ainda para um ferro curto cravado de forma sesgada montando o cavalo "Disparate", partindo para "cima" do toiro cravando um bom ferro consentindo ao estribo.

Forcadagem
No que diz respeito às pegas, a primeira esteve a cargo do grupo de Évora com o forcado da cara a fechar-se à córnea e à primeira tentativa.
A segunda pega esteve a cargo de um forcado do grupo de Alcochete com o forcado a cara a fechar-se de maneira um pouco ortodoxa mas a fixar-se na cara do toiro à córnea.
A terceira pega da noite foi executada por um forcado do grupo de Évora com o forcado da cara a fechar-se de forma segura à barbela.
A quarta pega da noite esteve a cargo de um forcado do grupo de Alcochete com o forcado da cara a fechar-se bem à córnea.
A penúltima pega da noite esteve a cargo de um forcado do grupo de Évora que se fechou de forma segura à córnea.
A última pega da noite foi executada por um forcado de Alcochete com o forcado da cara à fechar-se à terceira tentativa já com as ajudas carregadas.

Lidaram-se seis toiros da ganadaria portuguesa de Passanha que num conto geral colaboraram para as boas actuações da terna de cavaleiros actuantes nesta corrida de toiros.

Sem comentários:

Enviar um comentário