segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Lados opostos na Tauromaquia ibérica



Tem-se notado ao longo das últimas temporadas um crescimento enorme no que diz respeito ao toureio a cavalo em Espanha tendo despontado ao longo dos anos rejoneadores como são os casos de Diego Ventura, Pablo Hermoso de Mendoza e Leonardo Hernández, em sentido contrário está a quase não aposta no toureio a pé em Portugal.
Porventura a impossibilidade de trazer as figuras do toureio a pé às arenas portuguesas não chama muitos aficionados às praças portuguesas.

Sabendo-se desde logo que matadores de toiros como Luís Vital "Procuna", o já retirado Victor Mendes e de alguns novilheiros que estão a emergir como são os casos de João Augusto Moura, Nuno Casquinha, Manuel Dias Gomes entre outros poderiam perfeitamente dar novo entusiasmo ao toureiro a pé em Portugal.

O toureio a pé continua a ser aquele que menos é organizado em Portugal salvo raras excepções, como o exemplo da Feira Taurina da Moita, que ao longo dos anos tem realizado duas corridas com matadores de toiros e a empresa do Campo Pequeno que tem conseguido trazer as maiores figuras do toureio a pé à Monumental do Campo Pequeno, como foram os casos no último ano de Francisco Rivera Ordoñez "Paquirri", Miguel Angél Perera e António Ferrera.


Uma crónica a reflectir pelo aficionado.


Fotos:DR

Sem comentários:

Enviar um comentário